Pesquisar este blog

2.6.18

Passarim



O gato estava tão animado com o brinquedinho que fui ver qual era, porque as fontes de entretenimento de um bichano têm que ser infinitas, pelo bem das outras criaturas que habitam a casa. Bem, não era um brinquedo. Pausa. Respira, inspira, expira. Era um passarinho. Morto. E a cozinha a mais perfeita tradução de uma chacina.
O passarinho foi embalado e está no freezer. Espero que sua alma me perdoe mas o caminhão do lixo só passa na segunda-feira e enterrar no quintal de uma casa que tem cinco gatos e um cachorro nunca, nunca dá certo.
O gato está puto comigo, acha que a sacana sou eu.
Acho que vou pegar a cachorra e passear até esquecer. Ou até, muito provavelmente, o novo passarinho morto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário